quarta-feira, 8 de junho de 2011

Tudo pode ser dito

"Tudo pode ser dito dependendo da forma como o fazemos. Tudo!" - Foi o que ela disse.
Acredito que seja verdade. Mostrou-me que era!

Acredito que me libertaria (a mim e a todos) e seria mais revitalizante que muitos cremes.
Em vez de deixar acumular, exprimia de forma sincera, clara e serena tudo o que sinto. Na muche!
O que as pessoas poupariam em cremes, massagens e SPA.

Nada de fretes e nada de desonestidade (comigo e com os outros).
É o que tento fazer cada vez com mais frequência.
Admito que por vezes não seja fácil. Mas tento, antes de fazer seja o que for, perguntar-me se é aquilo que eu quero. E se não quero, não faço!

Sem pesos na consciência, sem julgamentos, sem nada.
Não posso culpar-me por cuidar de mim (e dos outros!).



C: Fez o que eu tinha sugerido?
Eu: Não.
C: Não?! Mas nós combinámos que faria!
Eu: Não combinámos. Foi uma sugestão!
C: Não fez porquê?
Eu: Eu podia inventar desculpas, mas muito honestamente, foi porque não me apeteceu!
C: É por isso que eu gosto de si. É sincera!

Podia não ter corrido bem. Podia!
Mas estaria de consciência tranquila com a minha verdade.

1 comentário:

  1. Nem mais... Infelizmente não há muito espaço para a sinceridade no mundo do trabalho (pelo menos). Mas que ficamos de consciência livre na mesma, lá isso ficamos :P

    ResponderEliminar