quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Deixei a carne!

Tudo começou há 3 anos quando me interessei por ler e ver documentários sobre sustentabilidade ambiental, e entendi que mesmo o que nós comemos tem impacto no meio ambiente.

Vi algumas reportagens sobre a "produção de animais", criados dentro de espaços minúsculos, alimentados com comida processada, injectados com químicos nocivos para eles e para nós, para depois serem abatidos muitas vezes nas piores condições.
Tenho a certeza que se todas as pessoas vissem uma só reportagem deste género com atenção, mais de metade via o bife que tem no prato de uma outra forma.
Muito por causa disto, estive mais de um ano sem frequentar cadeias fast food do estilo Mc Donalds. Depois voltei durante um tempo. E neste momento, há um ano e meio que não como nesses restaurantes (pelo menos não os hambúrgueres). 


Apesar de já comer pouca carne, há uns meses comecei a não me sentir bem quando o fazia.  O cheiro quente da carne lembrava-me o animal vivo, e o sangue então...
Comecei a ter noção do que estava no meu prato e não queria contribuir mais para a falta de condições de vida daqueles animais e muito menos queria comer aquela carne que obviamente não era de um animal saudável. 

Como não tenho possibilidade de ter animais de criação em casa para matar e comer, e mesmo que os tivesse não seria capaz de o fazer, cheguei à conclusão que assim sendo, não como carne.

Há dois meses que não como carne, de qualquer tipo. E reforço "de qualquer tipo", porque quando digo que não como carne perguntam-me logo: - "mas fiambre comes, não é?" ou "e salsichas, também não?".
É por causa destas perguntas e não só, que eu tenho a certeza que a maioria das pessoas come o que tem no prato porque sempre lhe ensinaram que é assim, mas nunca pararam para pensar o que é aquilo. É do género: "o que os olhos não vêm, o coração que não sente".

Não digo que nunca mais voltarei a comer carne. Sei é que "hoje" não quero comer e sinto-me confortável com isso.
Também não pretendo tornar-me vegetariana, pois sinto-me bem a comer peixe.
Não quero apregoar o vegetarianismo ou o que quer que seja, porque detesto que o façam comigo. Nem digo que quem come carne faz mal ou bem. Desde que se sintam confortáveis e conscientes disso, tudo bem para mim.
É apenas um desabafo que pode fazer sentido para muita gente.



11 comentários:

  1. É bom ler isto ;) desde que te sintas bem com a tua decisão é o que interessa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Sim é essa a minha regra.
      Enquanto me sentir bem será assim. Em tudo!

      Eliminar
  2. Sei como essas coisas funcionam (na Jardia fazia-se bastante, e não havia cá atordoar do animal como existe agora (geralmente) nos matadouros) e nunca me deu para deixar de comer carne. O que pode ser estranho pois assisti a isto várias vezes em criança e já não tanto na idade adulta (o pessoal deixou de ter forças para matar mais do que galinhas ou patos, mas eu também já não vou à Jardia com tanta frequência e sei que ainda se matam carneiros :P). Se sentia alguma coisa? Sim, principalmente na matança de porcos em que ouvia os grunhidos do animal até finalmente se esvair em sangue. Se não sentisse também qualquer tipo de emoção perante a ceifa de uma vida, seria grave -_-
    Feliz ou infelizmente sou uma pessoa que adora comida, independentemente do modo como é criada, morta ou colhida e confeccionada. Preferia não ter de comer tanta injecção (nos animais e nas frutas e vegetais) mas, por enquanto, é o que faço.
    Dou-te mas é os parabéns pela decisão que tomaste e por estares a mantê-la e, mais importante, sentires-te bem com isso :D uma vez, num debate acerca de vegetarianismo no site petiscos, li isto http://pt.wikipedia.org/wiki/Vegetarianismo - já leste? ;)
    Ah! E ainda te dou mais parabéns por resistires ao Mac! XD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando eu era pequena, a minha mãe chegou comprar galinhas no mercado e matar em casa. Eu ficava super aflita, e escondia-me na sala de ouvidos tapados. Nunca consegui participar, nem que fosse a ver qualquer tipo de matança de animais. Porco então, como tu disseste é horrível!!

      Sim, já tinha lido essa pagina e outras.

      "Resistir" ao Mc não é tão difícil como parece.

      :)

      Eliminar
    2. Acho que tens razão, ultimamente não me tem sido muito difícil resistir ao Mac, curiosamente...

      Eliminar
  3. Depois ainda vão dizer que a "culpa" é minha :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, agora disfarça!! Vivo coagida por ti!!

      Eu quero lá saber o que dizem :)

      <3

      Eliminar
    2. ha ha ha ha!
      Já me perguntaram algumas vezes se tu também és vegetariana!

      Eliminar
  4. ahhhhh parabéns pela decisão e atitude :)

    ResponderEliminar
  5. Encontrei este blogue nem sei como, e devo dizer que adorei e me idenfiquei imenso com aquilo que escreves :) Eu cá sou vegetariana há quase 4 anos, por vários motivos mas especialmente por ser o meu estilo de vida. Tomei essa decisão com 15/16 anos e não foi nada fácil mas hoje em dia é das coisas que mais me orgulho porque segui aquilo que me faz feliz. Se esta tua decisão é aquela que te faz feliz, independentemente de qual seja, só te deves sentir orgulhosa e feliz! :)) Lindo blogue mais uma vez.
    Um beijinho de luz, Mariana do blogue letsmaketeanotwar.blogspot.com

    ResponderEliminar